SABOROSAS ARDÊNCIAS RICAS EM NUTRIENTES

16/05/2014 14:06

Basta acrescentar uma porção de pimenta para garantir um sabor marcante a receitas simples e sofisticadas, salgadas ou doces. Com uma enorme gama de gêneros, ela está presente em pratos das mais diversas nacionalidades. Além de apresentar graus variados de ardência, o condimento é rico em nutrientes e tem propriedades anti-inflamatórias e substâncias que ajudam a melhorar a digestão e até auxiliam no emagrecimento (Leia mais nesta página). 

"Historicamente, a pimenta em grão é um dos condimentos mais antigos da culinária. E a mais comum deste gênero é a pimenta-do-reino, cujos grãos foram encontrados até nos restos mortais das múmias do Egito. No entanto, com o tempo as pimentas em formato de cápsula foram ganhando destaque na culinária mundial", contextualiza Marcelo Sokolowski, chef de cozinha e professor do curso de Gastronomia da Universidade Norte do Paraná (Unopar). 

Segundo ele, duas das pimentas em formato de cápsula mais utilizadas no mundo têm origem brasileira. "Quando os portugueses chegaram ao Brasil descobriram que os índios já consumiam as pimentas dedo-de-moça e malagueta. Durante a colonização, rapidamente elas se tornaram o segundo principal produto de exportação do País depois do pau-brasil", afirma. 

O docente destaca que a pimenta dedo-de-moça é uma das mais populares na cozinha devido à sua ardência de nível médio. "Existe uma tabela de ardência na qual a dedo-de-moça é classificada no grau médio. Por isso ela é ideal para a produção de molhos para carnes, peixes e saladas e também para o preparo de geleias. A dedo-de-moça também vai bem em feijoadas e até em sucos. Já a malagueta tem uma picância mais acentuada. A escolha depende do paladar de cada pessoa", salienta o chef que preparou três receitas com exclusividade para a FOLHA. 

Outra pimenta bastante aproveitada na culinária, segundo ele, é a biquinho. "Esse tipo de pimenta apresenta grau zero de ardência, mas ainda assim dá um toque extra de sabor aos pratos", enfatiza. 

Sokolowski lembra que a ardência das pimentas em formato de cápsula está nas sementes da planta. "Quem gosta de sabores mais acentuados deve preservá-las nas receitas. Já quem prefere uma suavidade maior deve retirar as sementes durante o preparo dos pratos", aconselha. 

Devido as peculiaridades picantes que podem causar danos à saúde de quem tem alergia à pimenta, o chef aconselha a identificar a presença do condimento nos pratos ao qual foram inseridas. "Como as pimentas inteiras dão uma beleza e um colorido maior aos pratos, basta acrescentar algumas unidades para que as pessoas saibam que a estarão consumindo", orienta.

 
Marcos Roman
Reportagem Local