APRESENTADORA DO SBT BRASIL CAUSA CONTROVÉRSIA EM FRASES POLÊMICAS

APRESENTADORA DO SBT BRASIL  CAUSA CONTROVÉRSIA EM FRASES POLÊMICAS
"Peguem leve com o Justin [Bieber, cantor], o menino está só crescendo" e "Faça um favor ao Brasil: adote um bandido", são algumas das frases polêmicas da âncora do "SBT Brasil" (SBT), Rachel Sheherazade, que se espalham pelas redes sociais, assim como seus vídeos, que causam discussão entre os telespectadores. "Minhas opiniões mais contundentes sempre geram grande repercussão, principalmente quando reverberam o desabafo de toda uma sociedade", diz Rachel. 

A jornalista ficou conhecida nacionalmente quando um vídeo com suas críticas sobre o Carnaval, em que dizia que a festa não era mais popular, propagou-se pelas redes sociais. Na época, Rachel era apresentadora de um telejornal da TV Tambaú, afiliada do SBT na Paraíba. Com a repercussão, foi convidada por Silvio Santos para comandar o "SBT Brasil", o principal telejornal da emissora, onde ela ganhou admiradores e desafetos. "Sempre que tenho tempo, passo pela web para interagir com meus amigos seguidores, pessoas que, às vezes, concordam e, às vezes, discordam das minhas opiniões. Sempre digo: 'Quer discordar? Use o cérebro. Dê-me argumentos'", complementa. 

Entre os fatos comentados por Rachel que mais repercutiram na internet está o do suposto assaltante de 15 anos que foi preso nu a um poste no Rio de Janeiro por um grupo de pessoas. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro chegou a publicar uma nota de repúdio à opinião da âncora, que defendeu os "justiceiros". "A sociedade não aguenta mais se sentir refém da criminalidade. E a maioria das pessoas de bem se pergunta por que foram esquecidas pelo Estado, por que não têm mais o direito de ir e vir. Por que pagam impostos caros e não têm direito à segurança?", diz. Dias depois, Rachel falou sobre a repercussão negativa de sua opinião no telejornal. 

Segundo ela, o tempo de duração do seu quadro de opinião no "SBT Brasil" é curto e pode gerar muitas interpretações. Por vezes, ela diz ter se sentido incompreendida pelo telespectador. "Nosso tempo é sempre muito curto para entrar em detalhes. Às vezes, não conseguimos explorar o tema como gostaríamos ou como ele precisaria ser explorado. Então, alguns mal-entendidos podem acontecer", comenta a jornalista. "No telejornal, vai ao ar a opinião da jornalista, da mulher, da mãe e da cristã, com seus valores, princípios, ideologias e tudo o que forma um ser pensante." 

Devido à grande movimentação nas redes sociais, Raquel tem recorrido ao apoio de um assessor. "Ele que monitora meus perfis e modera os comentários no meu blog. Só mando bloquear quem ofende."

 
Alex Francisco
Folhapress