COM 51% DOS VOTOS, MARIEN É A QUINTA ELIMINADA DO BBB 13

 

Com 51% dos votos, a novata Marien tornou-se a quinta eliminada do “BBB13” na noite desta terça-feira (12). Ela foi indicada ao paredão pela líder Kamilla e disputou a permanência com Eliéser e Fernanda – que tiveram 41% e 8%, respectivamente – no segundo paredão triplo desta edição.

Ao sair da casa, a bailarina de flamenco não se despediu de Kamilla nem de Eliéser.

"Acho que o que me tirou de lá de dentro foi não ter resposta. Eu ficava com muito medo lá dentro. Queria acertar o tempo todo. Eu estou torcendo muito pelas pessoas que estavam comigo. Eu sei que não saí por perder. Estou torcendo para Andressa, que é uma menina maravilhosa. Acho que os jogos da Andressa, do Ivan e do Nasser são jogos limpos", disse a eliminada a Pedro Bial assim que deixou a casa.

Em entrevista coletiva após a eliminação, Marien afirmou que tentou ficar com Eliéser no programa porque "estava carente".

"Não me apaixonei pelo Eliéser, mas confesso que estava carente e ele era o único homem livre da casa. Aqui fora eu não me interessaria, ele não é o tipo de homem que me atrai”, disse a sister.

Marien afirmou ainda que se sentiu usada pelo colega de confinamento. "O Eliéser foi uma decepção pra mim, achava que ele era meu amigo, mas foi ele quem me colocou no jogo quando me deu o poder do veto para protegê-lo e depois quando atendeu o Big Fone e deu a imunidade para a Kamilla, sabendo que eu teria que colocar a Fani no paredão".

A sister disse que seu "santo não bateu" com o de Kamilla desde o começo: "Não foi ciúme do Eliéser. Ela fazia coisas que me irritava profundamente. Não só a mim como a todos que estavam na casa. Às vezes, em dia de paredão, quando o clima era de velório, ela estava cantando música do 'Rei Leão'. Tive atrito com ela o tempo inteiro".

Ao avaliar sua participação, Marien acredita que poderia ter "entrado no jogo" mais cedo. "Não entrei completamente no jogo, acho que se entrasse de primeira teria me dado melhor, mas já entendi que saí por isso e não porque fui odiada ou coisa assim", analisou.