DESTITUIÇÃO NA DIRETORIA DA COROL É ANULADA POR DECISÃO DA JUSTIÇA

DESTITUIÇÃO NA DIRETORIA DA COROL É ANULADA POR DECISÃO DA JUSTIÇA
O desembargador Luiz Sérgio Neiva de Lima Vieira, da 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná.suspendeu os efeitos da assembleia realizada por cooperados da Corol na tarde desta terça-feira (28) emRolândia. 

Na decisão dos cooperados, a atual diretoria administrativa e o conselho fiscal da Corol seriam destituídos, o que fica anulado com a medida judicial. , 


"Esta assembleia não tem valor nenhum. Foi uma armadilha e o tempo vai mostrar isso", afirmou o presidente da cooperativa, Eliseu de Paula. Ele garantiu a realização de uma nova assembleia geral para o dia 13 de junho, com eleição de diretoria e prestação de contas. "Vamos por a Corol em um porto seguro, não com um golpe como a Cocamar quer fazer", completou, em entrevista à rádio Terra Nativa. 

O advogado Anacleto Giraldeli Filho garantiu que a decisão judicial só suspende os efeitos da assembleia até que seja provada a legalidade com abaixo assinado e edital publicado em jornais da região. "Dispomos de todas essas provas e elas serão apresentadas dentro de um prazo legal", garantiu. 

Mais de 970 cooperados participaram da assembleia em Rolândia. A Corol enfrenta graves problemas financeiros Um dos mais graves está na assinatura de 903 notas de crédito rural, garantindo financiamento para a Corol junto ao Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), totalizando mais de R$ 15 milhões. No entanto, o compromisso não foi honrado pelo antigo Conselho Administrativo e Fiscal, sendo que algumas notas já foram protestadas.
 
fonte:Marco Feltrin - Redação Bonde