DESVENDADO O MISTÉRIO DO TRIÂNGULO DAS BERMUDAS

DESVENDADO O MISTÉRIO DO TRIÂNGULO DAS BERMUDAS

O Triângulo das Bermudas (também conhecido como Triângulo do Diabo) é uma área delimitada por pontos em Bermudas, Flórida (EUA) e Porto Rico, onde navios e aviões supostamente desaparecerem misteriosamente no ar – ou, claro, em águas profundas.

O termo “Triângulo das Bermudas” foi cunhado em 1964 pelo escritor Vincent Gaddis na revista Argosy. Embora Gaddis tenha criado o termo, o nome só ganhou popularidade internacional uma década mais tarde. O escritor Charles Berlitz também tinha um forte interesse no paranormal. Ele acreditava não só que Atlântida era real, mas também que ela estava conectada ao triângulo de alguma forma, uma teoria que ele propôs em seu livro de 1974 “O Triângulo das Bermudas”. O mistério desde então tem sido promovido em milhares de livros, revistas, programas de televisão e websites.

Desvendando o Triângulo das Bermudas

Ao longo dos anos, muitas teorias foram apresentadas para explicar o mistério. Alguns escritores de ficção têm expandido as ideias de Berlitz sobre Atlântida, sugerindo que a mítica cidade poderia estar no fundo do mar e estar usando suas “energias de cristal” para afundar navios e aviões. Outras sugestões incluem os mais fantasiosos portais do tempo e extraterrestres – incluindo rumores de bases alienígenas subaquáticas.

Outros, ainda, acreditam que a explicação está em algum fenômeno extremamente raro e pouco conhecido – uma explicação geológica ou hidrológica – mas perfeitamente natural. Por exemplo, talvez navios e aviões são destruídos por bolsas de gás metano inflamáveis – talvez um raio ou uma centelha elétrica acenda uma enorme bolha de metano capaz de derrubar aviões ou afundar navios, fazendo-os afundar sem deixar vestígios. Existem alguns problemas lógicos evidentes com essa teoria, incluindo o fato de que o metano existe naturalmente em todo o mundo e nenhum incidente nunca foi cientificamente comprovado.

Outros sugerem maremotos repentinos. Ou talvez alguma anomalia geomagnética misteriosa que cria problemas de navegação, confundindo pilotos e de alguma forma fazendo-os mergulhar no oceano. No entanto, os pilotos são treinados para voar mesmo com uma perda de navegação eletrônica, e a teoria não explica o desaparecimentos de navios. Na verdade, a Marinha dos EUA tem uma página na web para desmascarar essa ideia: “Tem sido erroneamente alegado que o Triângulo das Bermudas é um dos dois lugares na Terra em que uma bússola magnética aponta no sentido norte verdadeiro. Normalmente uma bússola irá apontar para o norte magnético… a diferença entre os dois é conhecida como variação da bússola… Embora, no passado, esta variação tenha afetado a região do Triângulo das Bermudas, devido às flutuações no campo magnético da Terra, aparentemente isso não tem sido o caso desde o século XIX”.

Desvendando o mistério (que mistério?)

Mas, antes de aceitar qualquer uma dessas explicações, um bom cientista deveria fazer uma pergunta mais básica: Existe realmente algum mistério para explicar?

Um jornalista chamado Larry Kusche perguntou exatamente isso, e chegou a uma resposta surpreendente: não há mistérios sobre os estranhos desaparecimentos no Triângulo das Bermudas. Kusche exaustivamente reexaminou os “desaparecimentos misteriosos” e descobriu que a história era basicamente criada por erros, fautores de mistérios, e em alguns casos, completa fabricação de “fatos”.

Em seu livro definitivo “O Mistério do Triângulo das Bermudas – Resolvido”, Kusche observa que poucos escritores sobre o tema se preocupam em fazer qualquer investigação verdadeira – eles principalmente recolhem e repetem outros escritores anteriores que fizeram o mesmo. Infelizmente, a facilidade de Charles Berlitz com a linguagem não transita em uma investigação credível ou bolsa de estudos. Seus livros sobre o paranormal – e sobre o Triângulo das Bermudas, especificamente – estavam cheios de erros e invenções  não-científicas. De certa forma, o Triângulo das Bermudas é em grande parte uma criação de Charles Berlitz. Kusche viria a notar que a pesquisa de Berlitz era tão desleixada que “se Berlitz fosse relatar que um barco era vermelho, a chance de ser de alguma outra cor era quase uma certeza.”

Em alguns casos, não há nenhum registro de navios ou aviões alegadamente terem sido perdidos no cemitério triangular aquático; elas nunca existiram fora da imaginação de um escritor. Em outros casos, os navios e aviões eram bastante reais – mas Berlitz e outros esqueceram de mencionar que os objetos “desapareceram misteriosamente” durante tempestades severas. Outras vezes, os navios afundaram bem longe do Triângulo das Bermudas.

Também é importante notar que a área dentro do Triângulo das Bermudas é muito viajada com navios de cruzeiro e de carga; logicamente, mais navios vão afundar lá do que em áreas menos viajadas como o Pacífico Sul.

Apesar do fato de que o Triângulo das Bermudas foi definitivamente desmascarado por décadas, ele ainda aparece como um “mistério não resolvido” em novos livros – principalmente por autores mais interessados em uma história sensacional do que fatos. No final, não há nenhuma necessidade de invocar portais do tempo, Atlântida, bases de OVNIs submersas, anomalias geomagnéticas, maremotos, ou qualquer outra coisa. O mistério do Triângulo das Bermudas tem uma explicação muito mais simples: investigação malfeita e sensacionalismo. [LiveScience]



Fonte: misteriosdomundo.org