NASA DIVULGA DESCOBERTA DE PLANETA PARECIDO COM A TERRA

NASA DIVULGA DESCOBERTA DE PLANETA PARECIDO COM A TERRA

Lembre-se do nome Kepler 452b. Porque em nossa busca para descobrir se estamos sozinhos neste vasto e fascinante universo repleto de planetas mortos e inabitáveis, podemos finalmente ter encontrado um verdadeiro candidato a Terra 2.0.

Imagem do topo: Terra em comparação ao Kepler 452b (ilustração artística)

Pela primeira vez, os cientistas encontraram o que parece ser um mundo rochoso que orbita uma estrela semelhante ao Sol a quase exatamente na mesma distância que a Terra orbita o nosso próprio Sol. Enquanto outros planetas habitáveis ​​potenciais foram encontrados antes, este é o primeiro que poderia plausivelmente ser outra Terra.

Kepler 452b, encontrado pelo telescópio espacial Kepler, da NASA, está localizado a 1.400 anos-luz de nós. Ele orbita uma estrela que é 4% mais massiva e 10% mais brilhante do que o nosso Sol. O planeta em si é 1,6 vezes maior que a Terra – tornando-se uma super-Terra – mas os cientistas tem bastante certeza de que ele é um mundo rochoso, devido ao seu tamanho e tipo de estrela que orbita.

Sua órbita, de 384,84 dias terrestres e 5% mais distante do que o nosso planeta está do Sol, coloca-o na zona habitável de sua estrela, onde não é demasiado quente ou frio para a água líquida existir em abundância. Este não é o primeiro planeta do tamanho da Terra encontrado em uma zona habitável; no ano passado, o mundo viu a descoberta de Kepler 186f, mais semelhante em tamanho à Terra. Mas esse planeta orbita uma estrela anã vermelha, menor e mais fria que o Sol. Kepler 452b, por sua vez, orbita quase um clone exato do Sol.

Embora a massa do planeta ainda pode ser diretamente determinada, os cientistas pensam que pode ser cerca de 5 vezes a da Terra. Um planeta rochoso deste tamanho e com essa massa provavelmente tem vulcanismo ativo na superfície.

No entanto, deve notar-se que a estrela que orbita é 1,5 bilhão de anos mais velha do que o nosso Sol. Por um lado, isso pode significar que quaisquer oceanos em sua superfície são susceptíveis de serem evaporados, diminuindo a sua chance de ser habitável. Por outro lado, este planeta oferece uma oportunidade fascinante de ver como a Terra pode ser no futuro.

“Se Kepler 452b é de fato um planeta rochoso, a sua localização poderia significar que ele está entrando em uma fase de estufa”, Doug Caldwell, um cientista do Instituto SETI trabalhando na missão Kepler, disse em um comunicado. “O Kepler 452b poderia estar enfrentando agora o que a Terra passará daqui a mais de um bilhão de anos, conforme o Sol fica velho e mais brilhante”.

Kepler 452b foi encontrado em um novo catálogo de 500 candidatos a exoplanetas a partir de quatro anos de dados do Kepler. 12 destes têm menos de 2 vezes o diâmetro da Terra e orbitam a zona habitável de sua estrela, mas Kepler 452b foi o primeiro a ser confirmado como um planeta. Por conseguinte, poderia ser apenas uma das muitas “Terras 2.0s” que estão na iminência de serem anunciadas.

“Kepler 452b nos leva um passo mais perto de compreender quantos planetas habitáveis estão lá fora”, disse Joseph Twicken, também do Instituto SETI, em um comunicado.

Em suma, enquanto nós podemos anunciar este como o melhor candidato para a Terra 2.0 até agora, a caça vai continuar em busca de mais planetas semelhantes à Terra.

Na verdade, encontrar vida nesses planetas é mais difícil. Embora os próximos telescópios como o Telescópio Espacial James Webb (JWST) sejam projetados para estudar as atmosferas de exoplanetas e procurar sinais de habitabilidade, Kepler 452b está muito longe de ser amplamente estudado no momento.

Mas uma coisa é certa – as chances de estarmos sozinhos no universo é cada vez menor. Quer se trate de Kepler 452b ou Kepler186f  ou algum outro planeta ainda não descoberto, em algum lugar lá fora, deve haver um mundo com vida esperando para ser descoberta. [NASABBCIFLScience]