SILVIO SANTOS NÃO PERDOA NINGUÉM NO TROFÉU IMPRENSA

SILVIO SANTOS NÃO PERDOA NINGUÉM NO TROFÉU IMPRENSA

Mesmo muito gripado e abatido, Silvio Santos foi, como sempre, a maior atração do Troféu Imprensa, exibido na noite de domingo (12) pelo SBT. O apresentador não estava tão afiado, mas ainda assim não perdeu a chance de rir tanto dos artistas premiados quanto dos jornalistas que formaram o júri da atração.

O momento mais “sem noção” da noite ocorreu ao receber a turma do “Pânico” para entregar um troféu. Apresentado a uma nova integrante, Mari Baianinha, o dono do SBT se surpreendeu: “Você é mulher mesmo? Não é travesti? Porque esse programa ‘Pânico’ engana muito''. Emilio Surita entrou no clima e respondeu: “A gente testa antes”.

Ao elogiar o cantor Sam Alves, indicado como revelação do ano, Silvio disse que ele se parecia com Cauby Peixoto. E emendou, ao falar do veterano cantor: “Ele tá com pé na cova, igual a mim”.

No melhor estilo “marciano'', recém-chegado à Terra, fez que não sabia quem era Paula Fernandes, obrigando a cantora a dizer que já esteve várias vezes em seu programa.

O colunista Flavio Ricco, do UOL, cujo filho está namorando a apresentadora Eliana, ficou vermelho com as piadas de Silvio. Outra vítima de uma “trollagem” do apresentador foi Décio Piccinini. Ao contar que tem um programa na Rede Brasil, um canal disponível em algumas operadoras de TV paga, ouviu do apresentador: “Rede Brasil existe?”

A maior surpresa da noite foi “Malhação”, que teve quatro indicações, mesmo número de “Império”. A atração dirigida ao público adolescente foi indicada como melhor novela, melhor ator (Arthur Aguiar) e disputou a categoria revelação com dois candidatos, Isabella Santoni e Rafael Vitti. A atriz que faz a personagem Karina ficou com o troféu.

O júri de jornalistas especializados escolhe entre os três candidatos mais votados pelo público em cada categoria. É um método que limita muito as escolhas. Em mais de uma situação, jurados lamentaram não poder votar nos candidatos que realmente gostariam.

Ricardo Feltrin, do UOL, foi o mais explícito na crítica, ao lamentar que “Tá no Ar”, o melhor humorístico de 2014, não estava entre os três indicados, a saber: “A Praça É Nossa”, “Zorra Total” e “Pânico”. Silvio Santos ouviu a reclamação sem comentar.

 

Fonte: UOL